glu

setembro 2013

The Roadhouse 448




This edition of The Roadhouse shows off the state of new blues blood. Shawn Holt & The Teardrops, Cincinnati Slim, Bryan Lee, Jonny Lang, and Monkeyjunk fill an hour almost completely full of new blues and, as a result, it’s an hour of the finest blues you’ve never heard – the 448th Roadhouse.
The Roadhouse Podcast 448 Show Notes
Sugar Ray & The Bluetones
Warm Hearted Woman
Severn
Rockin’ Sugar Daddy
iTunes | eMusic
Chris James & Patrick Rynn
Goodbye, Later For You
Earwig
Barrelhouse Stomp
eMusic
Toni Lynn Washington
It’s Been A Long Time (Been So Long)
Northern Blues
Been So Long
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Shawn Holt & The Teardrops
Get Your Business Straight
Blind Pig
Daddy Told Me
iTunes
Bobby Messano
I Ain’t Got Diddley (featuring Deanna Bogart)
self-released
Welcome To Deltaville
Amazon mp3 | eMusic
Cincinnati Slim
Chapel Blues
self-released
Widows Pleasure
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Bryan Lee
Evil Is Going On
Severn
Play One For Me
iTunes | eMusic
Jonny Lang
Blew Up (The House)
Concord
Fight For My Soul
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Samantha Fish
Black Wind Howlin’
Ruf
Black Wind Howlin’
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Monkeyjunk
Sirens In The Night
Stony Plain
All Freqencies
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Dave Riley & Bob Corritore *
No Cussin’
Vizztone
Hush Your Fuss!
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Lightnin’ Slim
My Babe
CW Music
Good Morning Heartaches & Other Favorites
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Lowell Fulson
Shed No Tears
Cherished Records
Cherished
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Downchild
This Must Be Love
Linus
I Need A Hat
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
* The Roadhouse Premium, Deluxe and App only.

Creative Commons License
Horton Macedo
Foto: I. Malforea (2013)

Hoje é o Dia Nacional da Doação de Órgãos. O Brasil tem o maior sistema público de transplantes de órgãos do mundo. Somente em 2012, foram realizadas 24 mil cirurgias de transplante, 95% delas realizadas no SUS. Torne-se um doador e incentive seus familiares e amigos também. #doeorgaos




Robert Plant e Jimmy Page no Live Aid, 1985.
Ressuscitado às pressas, o Led Zeppelin apresentou-se e, embora tenha feito um show repleto de contratempos, a multidão retumbou “Led Zeppelin!” e cantou com a banda alguns dos mais poderosos clássicos do Rock e do próprio Zeppelin – a revolucionária banda das décadas de 1960 e 1970. O Live Aid foi tão importante que metalizou o 13 de julho como Dia Internacional do Rock, bebê.

O megaconcerto mundial do Rock fez seus amplificadores estrondarem no dia 13 de julho de 1985. O colossal evento foi televisionado para cerca de 100 países e se acredita que mais de 1,5 bilhão de espectadores tenham atendido ao chamado de dezenas de lendas do Rock mundial.
Visando arrecadar fundos em benefício dos cidadãos pobres da Etiópia, os Deuses do Rock fizeram seus instrumentos rugirem. O Live Aid teria angariado aproximadamente 100 milhões de dólares, que foram revertidos à causa primária do evento: o alívio dos que sofrem com a fome. Muitos outros eventos, shows e discos foram feitos a partir do Live Aid (o que gerou outros milhões para diversas causas).
Dentre os destaques, encontrava-se o Led Zeppelin, uma das bandas de maior sucesso, inovação e influência da História. Eles haviam encerrado oficialmente suas atividades em 1980 depois da trágica notícia da morte do seu baterista (John Bonham). Em 13 de julho de 1985 ocorreu o Live Aid e remanescentes da lendária banda foram convocados.
Infelizmente, a apresentação não alcançou as expectativas, mas ainda assim fez valer a pena. Houve certa desorganização para com os músicos e vice-versa. Dentre as falhas, encontra-se a dos bateristas escolhidos para servir a banda: dois bateristas foram designados para ocupar a vaga do gigante que deixara a “batera” do Led Zeppelin cinco anos antes, mas que, lamentavelmente, pareciam desconhecer as músicas.
Antes mesmo do show, alguns membros da banda e organizadores do evento se mostravam insatisfeitos e reclamavam das condições para o show. Contudo, anos depois e por diversas vezes, todos se lamentariam por não ter se esforçado mais. A causa era justa. Como o próprio Jimmy Page (guitarra), por ocasião de outro show beneficente (2007), reafirmou sobre o Live Aid: “tínhamos de estar preparados e empenhados”.
Apesar dos contratempos, os ecos da grande banda dos anos 70 foi mais forte que qualquer coisa e avassalou o espírito daqueles que esperavam para vê-los no palco mais uma vez.
,,/
[VÍDEO] Show do Led Zeppelin, no Live Aid: http://www.youtube.com/watch?v=6uCpcKvv9Rw
[VÍDEO] Show realizado em 10 de dezembro de 2007, em Londres: http://www.youtube.com/watch?v=IUJYID9gZeY
IMAGEM: A equipe do Imagens Históricas buscou informações a respeito de maiores referências da imagem, para creditá-la. Entretanto, nada foi encontrado. Caso a encontrem, gostaríamos que nos alertassem via e-mail, por gentileza.
REFERÊNCIAS:
BREAM, JON. WHOLE LOTTA LED ZEPPELIN: A HISTÓRIA ILUSTRADA DA BANDA MAIS PESADA DE TODOS OS TEMPOS. TRAD. GUSTAVO MESQUITA, LUÍS FRAGOSO E ANNA PAOLA MONTEIRO. RIO DE JANEIRO: AGIR, 2011.
MOREIRA, MARCELO. O DIA EM QUE O ROCK MUDOU A HISTÓRIA DA HUMANIDADE.
PORTAL TERRA. EM 1985, LIVE AID INSPIRAVA CELEBRAÇÃO DO DIA MUNDIAL DO ROCK.

Agora a Loja DB tem uma banquinha especial com material de outros artistas independentes



Novidade aqui no site: Agora a Loja DB conta com uma seção só com material de outros artistas independentes. Essa ideia surgiu há algum tempo, quando trocamos material com outras bandas. Deixaríamos alguns CDs nossos com eles, que fariam o mesmo. Assim, nosso trabalho circula por lugares onde não pudemos ir, e vice-versa. Todo mundo sai ganhando. Como houve uma troca, o dinheiro arrecadado fica com quem vendeu. Simples e eficaz.

Agora vamos criar a possibilidade de você ter acesso ao material de outros artistas que temos, aqui pelo site. As condições de pagamento são iguais às que já utilizamos: cartão de crédito ou depósito em conta. Ah! E na compra de qualquer material, você recebe também a edição mais recente da BLUEZinada!.

É músico? Quer participar? Podemos trocar material. Entre em contato.


Para ver todos os produtos da Banquinha Independente, clique AQUI.

Artista / banda: Clamus (Fortaleza - CE)
Gênero: Metal
Título: Frontière
Lançamento: 2009
Nº de faixas: 09
Unidades disponíveis: 02
Valor: R$10,00 + R$6,00 (frete para todo o Brasil)

Para comprar através de depósito bancário, CLIQUE AQUI.

Para comprar através de cartão de crédito ou conta PagSeguro, clique no botão abaixo:




2012, durante as gravações do EP Riffs, Shuffles, Rock n' Roll

Há uma década, morria uma verdadeira lenda da música americana. Criativo, rebelde e polêmico, Johnny Cash era um músico diferente dos outros. Percursor do rockabilly e um dos maiores ídolos da música country, o cantor continua a influenciar músicos em todo o mundo.
Suas canções falavam de crimes, drogas e bebidas, mas também de amor e de Deus. Já cantou na Casa Branca para presidentes da república e também em prisões para condenados.  Vivia em pecado, mas era um fervoroso cristão. Há quem diga que toda essa contradição era justamente o segredo de seu sucesso.
Com sua voz inconfundível e vestindo sempre preto, Cash manteve-se nos holofotes durante cinco décadas. Ao longo de sua carreira, o Homem de Preto venceu 11 grammies, gravou mais de 1.500 canções e vendeu mais de 50 milhões de discos; é o único músico a ser incluído no Country Hall of Fame, Rock & Roll Hall of Fame e Gospel Music Hall of Fame.
Desde 2003, quando faleceu, vários tributos, exposições e álbuns póstumos foram lançados. Em 2005, o filme Walk the Line – Johnny & June  rendeu o Oscar de melhor atriz para Reese Witherspoon  (como June Carter) e uma indicação de melhor ator para Joaquin Phoenix (como Cash). O longa conta a história do artista, desde sua juventude até se tornar um dos maiores ídolos da música country.
No ano seguinte, o alemão Reinhard Kleist lançou Cash - I See a Darkness, biografia em quadrinhos do cantor. A obra recebeu diversos prêmios, como o de Melhor Graphic Novel alemã em 2009. O livro foi lançado em vários países, incluindo no Brasil.
Nessa onda de homenagens, surgiu o clipe "Gods Gonna Cut You Down",  que contou com participação especial de 36 artistas. Iggy Pop, Keith Richards, Brian Wilson, Patti Smith, Bono Vox e Johnny Depp são alguns deles. Confira:
Por falar em clipe, o vídeo de "Hurt", uma versão do sucesso do Nine Inch Nails, foi considerado pela revista NME como o melhor videoclipe de todos os tempos. O clipe mostra várias imagens da carreira de Cash, incluindo cenas do lendário show na prisão de Folson.
Confira, abaixo, alguns dos maiores clássicos de Johnny Cash como "I Walk the Line", "Folsom Prison Blues", "Ring of Fire" e "Jackson":
Fonte: Omelete
Vote em nosso site e ajude o blues nacional a ganhar espaço


Já começou o período de votação do Prêmio Top Blog 2013, um sistema interativo de incentivo cultural destinado a reconhecer e premiar, mediante votação popular (júri popular) e acadêmica (júri acadêmico), os blogs brasileiros mais populares que possuam a maior parte de seu conteúdo focado para o público brasileiro, com melhor apresentação técnica específica a cada grupo (Pessoal e Profissional) e suas respectivas categorias.

O prêmio existe desde 2009 e a Distintivo Blue participa desde 2011, quando integrou o top 100, na categoria música>profissional. No ano passado demos um grande salto, ficando em 3º lugar na mesma categoria, no julgamento do júri acadêmico. Abaixo, você confere os certificados digitais:


Agora estamos mais uma vez na disputa. como sempre, contamos com sua ajuda para levarmos o BRBlues mais uma vez a um lugar de destaque. Vale ressaltar que nosso site, por ser feito em plataforma Blogger, pode ser considerado um blog, e concorre diretamente até mesmo com músicos consagrados.


Para votar é muito simples: basta clicar no selo que está na coluna à direita deste texto (como este logo acima), inserir seu nome e e-mail e votar. depois, é só confirmar o voto, clicando num link que será enviado para o e-mail que você forneceu. Caso não veja o e-mail de confirmação, procure em sua caixa de spam. O assunto será "Confirme seu voto", enviado por "TOPBLOG <votos1@topblog.net.br>". 

Contamos com você!

Toda energia e musicalidade de um dos estilos mais bonitos e profundos da música mundial. Um ritmo que encanta o mundo com a sua força não poderia ficar de fora da Educadora FM, que toca o melhor da música.

O programa apresenta o que há de mais rico no universo do blues nacional e internacional. Além de muita música, traz notícias, entrevistas, dicas, tudo de mais interessante relacionado ao blues. Escute toda classe e beleza deste estilo em um programa feito por quem conhece do assunto.

O programa acontece toda quarta, às 21h, na Educadora FM (Salvador)


Tocar gaita ajuda pacientes em doenças pulmonares e transplantes
O próprio Rawdon começou a dar aulas de gaita aos demais pacientes do hospital, como um exercício de reabilitação pulmonar suplementar.[Imagem: Clinica Mayo]
 ,
Depois de sobreviver a dois transplantes de pulmão, em 2005 e 2008, o músico Larry Rawdon compartilha uma nova forma de cura por música com outros pacientes da Clínica Mayo de Jacksonville (EUA).
Afinal, não apenas foi a música que o levou ao tratamento - ele tinha fibrose pulmonar idiopática - como também foi a música que o ajudou a se recuperar.
Depois de seu segundo transplante de pulmão em 2008, Rawdon não perdeu tempo e pegou sua gaita para suplementar os exercícios prescritos de reabilitação pulmonar. Ele observou resultados significativamente positivos.
Rawdon notou que, nos exames, obtinha pontuações de capacidade pulmonar substancialmente elevadas depois de tocar o instrumento.
Rawdon relatou seu êxito pessoal ao médico Cesar Keller, do Departamento de Serviços de Transplantes da Flórida.
"Pessoalmente, penso que essa técnica é um acréscimo e um complemento muito bom a todo o processo de recuperação geral de um transplante de pulmão", diz Cesar Keller. "Ela combina uma terapia respiratória excelente com a diversão e produz um resultado imediato, decorrente da execução do instrumento musical."
Os resultados foram tão positivos que o próprio Rawdon começou a dar aulas de gaita aos demais pacientes do hospital, como um exercício de reabilitação pulmonar suplementar.
"Estou convencido de que a gaita, para os pacientes de transplante de pulmão, pode ser considerado uma parte de um equipamento legítimo de exercício respiratório", diz Rawdon. "Além de tudo o mais que a gaita passou a representar para mim, é especialmente gratificante ouvir de outros pacientes de transplante que eles também estão se beneficiando o uso da gaita, pelo que estão percebendo".
Ele contatou, por iniciativa própria, a Hohner Inc., uma grande fabricante de gaitas, para ajudar a fornecer o instrumento para os pacientes.
Depois que Rawson contou sua história sobre a reabilitação com a ajuda da gaita ao presidente da companhia, a empresa se ofereceu para doar gaitas ao programa de Humanidades em Medicina, garantindo os instrumentos necessários para as aulas.
"A terapia respiratória é inestimável no processo de recuperação de pacientes de doenças pulmonares", explica o Dr. Keller. "Depois de um transplante de pulmão, o caminho para uma recuperação completa depende, em grande medida, de o receptor do órgão conseguir recuperar sua capacidade funcional, após o processo debilitador de uma doença crônica e progressiva do pulmão. Isso é sempre complicado devido ao forte impacto fisiológico de uma grande cirurgia, como a de transplante de pulmão."
"Portanto, os papéis da terapia física, os exercícios para recuperar a resistência física e o vigor, bem como os exercícios de respiração para recuperar músculos diafragmáticos e respiratórios são fundamentais no processo de recuperação," conclui o médico.

John Lee Hooker (August 22, 1917 -- June 21, 2001) was a highly influential American blues singer-songwriter and guitarist.


The Roadhouse 444

We’re deep in the heat of the blues in the 444th Roadhouse. With temperatures topping 100º F in the Midwest, it’s a good time to get out of the sun with a cold beverage. Otis Spann, Grand Marquis, The C.D. Woodbury Band, Bumble Bee Slim, and Matt Andersen help make the shade enjoyable with another hour of the finest blues you’ve never heard.
The Roadhouse Podcast 444 Show Notes
Ronnie Earl & the Broadcasters
The Big Train
Stony Plain Records
Just For Today
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Billy Boy Arnold
Move On Down The Road
Alligator
Back Where I Belong
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Lurrie Bell
Going Away Baby
Delmark
Blues In My Soul
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Otis Spann
I Wonder Why
Luxury Wafers Fresh / Believe Digital
Last Call (Live at The Boston Tea Party 1970)
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Grand Marquis
Whole Lotta Shakin’ Goin’ On
self-released
Blues and Trouble
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Honey Island Swamp Band
Just Another Fool
self-released
Cane Sugar
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
The C.D. Woodbury Band
Mean Jenny
self-released
Monday Night
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Peg Leg Howell & Jim Hill
Away From Home
Document
Peg Leg Howell & Eddie Anthony Vol. 2 (1928-1930)
iTunes | eMusic
Bumble Bee Slim
Chain Gang Bound
Document
Bumble Bee Slim Vol. 1 (1931-1934)
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Cephas & Wiggins
Stack And The Devil
Alligator
Somebody Told The Truth
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Cedric Burnside Project *
Mean Queen
self-released
Hear Me When I Say
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Matt Andersen
Lay It On The Line
Busted Flat Records
Coal Mining Blues
Amazon mp3 | iTunes
Valerie Wellington
A Fool For You
Alligator
The New Bluebloods – The Next Generation of Chicago Blues
Amazon mp3 | iTunes
Rod Piazza & The Mighty Flyers
High Flyin’ Baby
Tone Cool
Beyond The Source
eMusic

* The Roadhouse Premium, Deluxe and App only.
Creative Commons License