glu

Agosto 2013

Livro-coletânea tem letras da DB

O blues brasileiro segue conquistando espaço. Desta vez sob a forma de livro. Letristas em Cena é uma grande coletânea de letras de música, compostas por membros do Clube Caiubi de Compositores. A obra, coletiva e produzida pela Branca Tirollo, da editora Sotaques (Piracicaba-SP) e também membro do Clube, está disponível para download gratuito, em formato PDF e também pode ser encomendada, em formato físico, com capa dura, através da própria Branca (link abaixo). O lançamento oficial será no dia 14/09/2013, na Academia de letras de Piracicaba-SP.

A Distintivo Blue marca presença através das faixas Blues do Covarde, 2012, Miopia e Luar do Pontal, de autoria de I. Malforea (vocalista e produtor da DB), todas já lançadas aqui no site, e cujos fonogramas em MP3 também podem ser baixados de graça. É uma grande iniciativa, que mostra o quanto a música independente está viva no Brasil. Fique à vontade para baixar, compartilhar e conhecer o trabalho dos demais artistas. Os links estão ao final deste post.

O Clube Caiubi de Compositores nasceu em 2002, no número 420 da rua de mesmo nome, no tradicional bairro das Perdizes, em São Paulo, um fervilhante pólo cultural da região, vizinha à PUC e ao teatro TUCA. O movimento, desenvolvido por talentos ainda desconhecidos, logo atraiu compositores consagrados como Tavito e Zé Rodrix, que não só passou a frequentar assiduamente o projeto como se transformou em curador e incentivador do espaço.

E foi sob a batuta de Zé Rodrix que a “Segunda Autoral” expandiu, se profissionalizou e até hoje reúne compositores de várias vertentes, promovendo uma mistura democrática e – por que não? – uma fusão de estilos. Aos seis anos de existência, o Clube Caiubi de Compositores lançou, em maio de 2008, o portal do Clube Caiubi - www.clubecaiubi.com.br - Destinado a compositores, músicos, poetas, produtores e intérpretes, o portal já conta com mais de 6,5 mil associados pelo planeta e contabiliza 380 mil visualizações de perfil por mês.

Com a proposta de se tornar uma “vitrine” para que autores possam expor trabalhos autorais, o portal é um espaço democrático no qual os artistas podem inserir vídeos, fotos, perfis profissionais, agenda de shows e até 100 músicas no formato mp3. O acervo virtual conta com mais de 13 mil músicas, em sua maioria inéditas, cerca de 30.000 imagens e quase 4.000 vídeos. A experiência paulistana com as Segundas Autorais e a criação da rede virtual, fizeram com que outros artistas se interessassem em manter Noites Autorais em outras cidades do Brasil. Hoje, o Caiubi contabiliza 14 encontros regionais fixos.

Conheça todos os compositores participantes do projeto (1ª edição):

Ananias Domiciano Gomes
Branca Tirollo
Chico Pires
Etel Frota
Iso Fischer
I. Malforea
Julio César Nascimento
Kátya Chamma
Luiz Antônio Bergonso
Marcelo Secco
Marcos Antonio Passarelli
Priscila Pettine
Renata Machado Gomide
Renato Brito
Rosi Lopes
Sonekka
Suzete Dutra
Tato Fischer
Valéria Pisauro 
Valdemir A. F. Barros
Vuldembergue Farias
Xavier Peteó
Zezinho Nascimento

- - ----------------------------------
para baixar o e-book (4ª edição)
 - - ----------------------------------



-->
The Roadhouse 443

Rewinding nothing this week, I’ve got a lot of new music, including some to be released in the next few weeks. And, once again, it’s really the full range of blues. Ruff Kutt Blues Band, Moreland & Arbuckle, Blind Willie McTell, Guy Davis, and Smokin’ Joe Kubek & B’Nois King fill out another hour in The Roadhouse with an unparalleled variety that surely makes it another hour of the finest blues you’ve never heard – the 443rd Roadhouse.
The Roadhouse Podcast 443 Show Notes
Tedeschi Trucks Band
Made Up Mind
Masterworks
Made Up Mind
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Cub Koda & The Houserockers
Take Five
X5
Best of Slide Guitar Blues
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Ruff Kutt Blues Band
I’m Over You Woman
Vizztone
That’s When The Blues Begins
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Buddy Guy (with Beth Hart)
What You Gonna Do About Me
RCA / Silvertone
Rhythm & Blues
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
The Jeremiah Johnson Band & The Sliders
Where’d You Learn?
self-released
Brand Spank’n Blue
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Moreland & Arbuckle
Red Bricks
Telarc
7 Cities
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Tommy Z
Two Hundred Pounds of Joy
self-released
Sometimes
Amazon mp3 | eMusic
Blind Willie McTell
Loving Talking Blues
Document
The Complete Recorded Works in Chronological Order, Vol. 1
iTunes | eMusic
Skip James
Crow Jane
Adelphi
She Lyin’
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Taj Mahal
Cakewalk Into Town
Warner
The Essential Taj Mahal
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Guy Davis
That’s No Way To Get Along
M.C. Records
Juba Dance
eMusic
Omar & The Howlers *
Do The Do
Mascot
Runnin’ With The Wolf
Amazon mp3 | iTunes
Smokin’ Joe Kubek & B’Nois King
Face To Face
Delta Groove
Road Dog’s Life
eMusic
Shemekia Copeland, Corey Harris, Alvin Youngblood Hart, & Phil Wiggins
Ramblin’ On My Mind
Spoonbread
True Blues
Amazon mp3 | iTunes | eMusic
Memphis Slim
Harlem Bound
Not Now
Boogie After Midnight
Amazon mp3 | iTunes
* The Roadhouse Premium, Deluxe and App only.


Rod Piazza, Honey Piazza & Igor Prado Band (Brazil-2013) - Almighty Dollar
@ Sesc Taubaté/SP/Brazil - Sesc Jazz & Blues Festival 2013
Video: Chico Blues

Rod Piazza - Voc, Harp
Honey Piazza - Keyboard
Igor Prado - Guitar
Rodrigo Mantovani - Ac.Bass
Yuri Prado - Drums

http://www.igorpradoband.com
JazznosFundos
Olá amigos e apreciadores da boa música, 

Muitas mudanças aconteceram por aqui na última semana. Inauguramos o JazzB, nossa nova casa no Centro, levamos pra lá nosso piano e estamos fazendo uma reformulação na programação das casas. 

A programação do JazznosFundos ficou assim: 

Quintas - Noite Take Five, com shows de standards de jazz ou os lançamentos do jazz paulistano;Sextas - Noites Cubop! de Latin Jazz, e, a partir dessa semana, noites SambaJazz, com a melhor mistura entre o Jazz e a nossa batucada;
Sábados - nossa noite clássica, com shows animados e cheios de energia pra gente encerrar a semana com estilo. 

Enquanto isso, no JazzB, 

Almoço segunda a sexta, a partir das 11h30: comida contemporânea e deliciosa, preparada com todo carinho pela nossa chef Lizandra do Amaral;
Happy Hour de segunda a sexta, pra finalizar seu dia com um chopp bem tirado e uma trilha sonora perfeita;
Shows de quinta a sábado, à partir das 22h. E a partir da semana que vem, de segunda a sábado, sempre com uma agenda de primeiríssima. 

Acompanhe de perto a programação, porque muita coisa boa ainda vem por aí!


JazzB

quinta
Quinta, 15/8 | JOÃO TAUBKIN TIO
O trio lança o seu primeiro disco Tribo, fruto de mais de um ano de ensaios, composições e experimentos musicais. Eles apresentam um som que reflete as influências de uma extensa gama de gêneros musicais, incluindo o jazz, a música africana, o rock e a música popular brasileira. Com João Taubkin (baixo acústico), Zeca Loureiro (guitarra e violão de aço) e Bruno Tessele (bateria).




sexta
Sexta, 16/8 | ZELI QUINTETO
Zeli é um baixista de “mão cheia”, que já tocou com feras como Renato Anesi, Oswaldinho do Acordeon e Zé Menezes. Ele comanda uma reunião jazzística com feras da música instrumental para tocar temas consagrados da música brasileira e outras composições dos integrantes do grupo. Com Vitor Alcantara (sax), Peter Farrel (guitarra), Edmundo Cassis (piano), Zéli Silva (contrabaixo) e Alex Buck (bateria).


sábado
Sábado, 17/8 | SONNY ROLLINS BEST HERITAGE
Sonny Rollins Best Heritage é um tributo àquele que mudou – e ainda muda – a forma de se ouvir jazz. Passeando por suas diversas fases e estilos, o grupo propõe uma apropriação sempre renovada das obras atemporais desse gênio do saxofone, ainda em plena atividade. Com Lucas Macedo (saxofone), Edson Santanna (piano), Bruno Migotto (baixo acústico) e Vitor Cabral (bateria).




JazznosFundos

quinta
Quinta, 15/8 | MUNIR HOSSN
A música de Munir Hossn engloba as mais diversas influências e encontra semelhanças nos ritmos africanos, cubanos, árabes e caribenhos. Após ter girado o mundo, ele traz de volta ao Brasil tudo aquilo que encantou o público internacional. Com Munir Hossn (baixo e violão), Bruno Aranha (piano), Ricardo Braga (percussão) e Tedy Santana (bateria). Uma noite imperdível de misturas musicais!

sexta
Estréia da temporada samba jazz com Jorge Neto, trombonista cujo primeiro disco solo é um deleite da primeira à última faixa. As principais referências vêm da sonoridade dos discos do baterista Edson Machado e o pianista Sergio Mendes, fundadores do samba jazz nos anos 60. Noite para dançar com João Paulo Barbosa (saxofone), Sidmar Vieira (trompete), Edson Sant’anna (piano), Bruno Migotto (baixo) e Bruno Telesse (bateria).


sábado
Sábado, 17/8 | GUILHERME KASTRUP 
O projeto Kastrupismo dá nome ao primeiro disco do baterista e percussionista Guilherme Kastrup. O artista se revela por completo ao apresentar uma forma própria de construir a música com ponto de partida em um método de criação feito por “reciclagem de áudios”. Com Guilherme Kastrup (bateria), Marcelo Monteiro (saxofone e flauta), Rafa Barreto (guitarra) e Marcelo Castilha (teclado e sanfona).


galeria
Na galeria: CAMINHOS
A mostra apresenta uma pequena retrospectiva de pinturas feitas no decorrer de anos de pesquisa particularmente sobre o papel da pintura dentro da arte contemporânea. Pequenas narrativas visuais fragmentadas são criadas com grande valor na construção de um sentido de catarse junto ao espectador. A arte emerge como manifestação política, de forma a construir um discurso crítico em relação ao mundo contemporâneo. Uma crítica aos padrões de beleza, aos estilos de vida e à “ditadura dos sentidos”, na qual pessoas não podem mais ter o direito a seus momentos de fragilidade crítica. [Curadoria Danilo Tavares e Maximo Levy]

Facebook JazznosFundos
Facebook JazzB









Com programação de primeira, o Bourbon Street Fest, volta a acontecer em São Paulo entre os dias 18 e 25 de agosto de 2013.

Em sua 11a. edição, o Festival contará com grandes nomes do rico cenário musical de New Orleans, em apresentações gratuitas ( Parque do Ibirapuera ) e shows intimistas no Bourbon Street Music Club.

Será uma semana de festa e cultuação aos principais ritmos e estilos da música da Louisiania.

Trombone Shorty & Orleans Avenue,The Soul Rebels, Wanda Rouzan, Leroy Jones, The Meters Experience com Leo Nocentelli e Honey Island Swamp Band, apresentarão o melhor do Jazz, do Blues, do Cajun, do Soul, do R&B, do Funk, do Brass e de suas variadas vertentes.

Desde 2003, o Bourbon Street tem realizado o festival em São Paulo e outras capitais do Brasil, transmitindo um pouco da alegria e da energia desse grande caldeirão musical que é New Orleans.

Maiores informações e reservas: 11.5095.6100

Conheça a programação: www.bourbonstreetfest.com.br

A DB em sua formação completa

Por I. Malforea

Em 22 de janeiro de 2010, a DB fazia seu primeiro show, após aproximadamente seis meses de tentativas, mudanças e experimentações. De lá para cá, gravamos dois EPs, participamos de três coletâneas de nível nacional e duas de nível internacional, lançamos uma zine gratuita para o público(com cinco edições publicadas até o momento), fizemos shows beneficentes, fomos convidados para festivais, tocamos em várias emissoras de rádio,  fomos aprovados em editais de cultura, participamos de festivais competitivos, conhecemos muita gente, defendemos campanhas de doação de órgãos, combate aos maus-tratos a animais, direção com álcool, melhoria do meio-ambiente e, claro, fizemos nossa parte na divulgação do blues e jazz, sobretudo nacionais.

Agora, com mais de três anos de vida, chegou a hora de pararmos para respirar. Quando dissemos que não é fácil fazer blues no interior baiano, falamos muito sério. Enfrentamos incontáveis dificuldades para encontrar músicos(trocamos de formação várias vezes, principalmente de baterista), chegamos até mesmo a tocar em formato acústico por quase todo o ano de 2011 justamente por não encontrarmos baterista por aqui. Lidamos com muitas pessoas irresponsáveis, que nos atrapalharam muito e enfrentamos todas as dificuldades que uma banda que não pode se dar o luxo de se dedicar integralmente à música enfrenta. 

Apesar de muitos convites e até mesmo sermos aprovados num edital para circulação em outros estados, não pudemos largar nossos empregos e estudos para um mês de turnê. Descobrimos que a música independente no Brasil cresceu muito, mas os produtores(e os próprios músicos) criaram a ideia de que uma banda independente deve sempre tocar de graça, por amor à música. Isto é realmente poético quando se tem o apoio financeiro dos pais ou quaisquer outras pessoas, mas terrivelmente cruel quando se é preciso pagar as próprias contas. É fácil ser rebelde e irresponsável quando não se precisa preocupar com comida, água, luz, etc. Não é o nosso caso.

Estamos envolvidos com música até o pescoço há muitos anos, época em que a maioria do nosso público ainda não podia ir a um show sozinha. E a DB foi o projeto mais sério que tivemos. Todos sonhamos com o dia em que a banda poderia nos dar a liberdade de não ter que trabalhar com outra coisa. Mas encontramos um cenário onde, como já dissemos, tocar de graça se tornou o padrão, e a politicagem reina absoluta. Basta se curvar a determinado grupo para ter todas as dádivas do céu e cair na estrada linda e limpa do sucesso. Isso, a nosso ver, não tem nada a ver com rock n' roll, aquele estilo de vida onde caráter, atitude  e opinião valem muito. Isso implica em ser sempre verdadeiro e fiel aos seus princípios. 

Hoje há dois mainstream: o convencional, que passa na TV e nas rádios, e o paralelo, onde, nos mesmos moldes, se projeta incessantemente os artistas escolhidos da vez e se vira as costas(e a carteira) aos demais. Percebemos que, infelizmente, nossa cidade-natal está longe de ser o cenário ideal para que uma banda de blues cresça. Não somos fofinhos como as bandas "alternativas" da moda, nem nos curvaremos a politiqueiros para conseguir algo. Chegamos à conclusão de que, enquanto estivermos por aqui, será sempre remando contra a (forte)correnteza. E isso, depois de certa idade, nos deixa exaustos.

Resumindo, a Distintivo Blue está encerrando oficialmente suas atividades até que consigamos sair para outro lugar. Acreditamos mais do que ninguém em nosso próprio trabalho e proposta, mas abrimos mão de muito(mesmo) para conseguir um lugar ao sol, sem sairmos do lugar suficientemente. O site e todos os perfis nas redes sociais continuarão no ar, mas sem a mesma atividade. Nosso e-mail ( contato@distintivoblue.com ) também continuará ativo, mas será verificado no máximo duas vezes ao mês. Por hora, deixaremos de postar no site com a mesma frequência(que nos toma muito tempo por dia). Ainda não decidimos, mas talvez a BLUEZinada! será a única a continuar normalmente, mesmo que apenas a versão digital. Todas as músicas continuarão disponíveis para download gratuito.

Tínhamos o projeto de gravar de oito a dez músicas no primeiro semestre de 2013, mas decidimos gravar apenas 2012, Miopia, que nos trouxe uma grande visibilidade, mesmo antes de ser gravada. Com ela participamos de um importante festival e ainda vencemos uma chamada criativa da rede ItsNoon. Em pouco tempo a versão de estúdio estará pronta e disponível para download. Ainda temos o projeto da versão definitiva do EP Aplicando a Lei, contemplado pelo Programa BNB de Cultura 2012, em parceria com o BNDES, que também será concluído no primeiro trimestre de 2013. De tempos em tempos, inesperadamente surgirá alguma nova surpresa para vocês.

Por fim, agradecemos a todos que nos apoiam, curtem nosso trabalho e desejam nosso bem. Foram justamente vocês que nos deram gás para chegar até aqui de cabeça erguida. Contamos com vocês no futuro, quando a banda finalmente estiver pronta para voltar à cena, num contexto diferente e mais propício, infelizmente longe de nossa terra-natal. Fizemos nosso último show em 14 de dezembro de 2012, na praça Barão do Rio Branco (Festival Avuador), da forma que mais gostamos: de graça para o público. Se você esteve lá e filmou/fotografou, entre em contato com a gente.Um grande abraço, keep calm... And feel the blues!




I. Malforea - voz, gaita, kazoo, cajón e produção
Rômulo Fonseca - guitarra, violão, gaita e voz
Camilo Oliveira - guitarra, violão, banjo, mandolin e voz
Rodrigo Bispo - contrabaixo
Weslei Lima - bateria