glu

Janeiro 2010

Salve! Nesta semana começa uma etapa muito importante pra qualquer banda: a hora de entrar em estúdio. Com apenas um show no currículo e sem um baterista fixo vamos gravar nesta semana o nosso primeiro single, Luar do Pontal. Aguardem novas postagens com o dia-a-dia de gravação e, óbvio, o link para baixar a música. Fique conosco.

Malforea
Olá! Sondando a internet me deparei, não propositalmente, com uma repostagem da revista Veja de exatamente 1 ano atrás sobre os 50 anos de Kind of Blue, do mestre Miles Davis. Nem me lembrava mais dessa reportagem. Até aí tudo bem, o album é simplesmente um dos top de linha do jazz, mas existem inúmeras reportagens comemorativas mundo afora. Achei interessante um link à parte, onde a revista organizou uma galeria de fotos e áudios com grandes mitos do jazz, como o próprio Davis, Charlie Parker, Etta James e, obviamente, Louie Armstrong. Cada artista possui uma foto acompanhada de algum sucesso num player logo abaixo. Não preciso nem dizer que já salvei todas as imagens em meu PC, hehehe! Pois é, quem diria que até a Veja tem algo interessante a oferecer vez em quando...

LINK DA REPORTAGEM
LINK DIRETO PARA A GALERIA DE FOTOS
ABLUESADOS - GO

Esta semana começaremos falando sobre as maravilhas da internet. Podem falar o que quiserem: que é perda de tempo, que o Orkut é fútil, o MSN imbeciliza as pessoas, etc. Está correto, em parte. Os que conseguem encontrar utilidade nessas coisas conseguem chegar às pérolas. Onde mais eu conseguiria conhecer tantos mestres do blues e do jazz? Com certeza não teria rios de dinheiro para gastar em lojas de CDs. E quando existem artistas que já descobriram que não há como lutar contra a internet e se adaptam a ela é melhor ainda, pois nos poupa o trabalho de encontrar seu material "ilicitamente".
A banda goiana Abluesados é um grande exemplo: encontrei-a há quase dois anos em minha comunidade do orkut, História do Blues, num post que eles mesmos deixaram(veja o post AQUI). Baixei, ouvi e gostei muito. Enviei aos meus amigos, que também gostaram. E assim a banda tornou-se conhecida por muitos em minha cidade. É assim que funciona. Surgida em 1999, a Abluesados traz um blues com pitadas de jazz e samba, com direito a slide em cavaquinho e tudo. Um dos melhores álbuns de blues brasileiro que pude conhecer.
O grupo é formado por Luciano Ninomia(vocal, guitarra, violão e gaita), Uirá Cabral (vocal, gaita e guitarra), Maurício Machado(baixo) e Marcelo Bempar(bateria). Seu CD, Abluesados, foi lançado em 2006 e hoje o encontrei à venda nas Americanas.com. Vale a pena adquiri-lo, pois além de a qualidade do áudio ser muito superior num CD original, o encarte é muito bem-feito. Fica aí a dica pra quem está procurando material novo pra ouvir. Viva a internet! =)




PERFIL NO ORKUT
COMUNIDADE
MYSPACE
PATRICIA BARBER - NIGHTCLUB (Blue Note/Premonition Records - 2000)

Olá, como vai? Nesta semana trouxe para vocês um álbum sensacional àqueles que curtem o jazz mais contemporâneo: Nightclub, da Fabulosa Patricia Barber. Cheguei a ele através de um amigo audiófilo que idolatra essa mulher. Talvez apareçam aqueles que podem até dizer que acham-na chata ou sem nada de mais. Entendo: com certeza esses não tiveram a oportunidade de escutá-la num bom equipamento de som, daqueles que fazem você se transportar para o meio dos músicos, percebendo todos os detalhes com a deliciosa percepção de espaço. Realmente parece que a banda está tocando à sua frente. A moça(não mais tão moça) é filha de músicos e dá aula de canto e jazz(contato: PatriciaLBarber@gmail.com ). Sua voz grave e sutil somada aos excelentes músicos de apoio são perfeitos pra se apreciar num bom bar de jazz. Os que não podem desfrutar dessa emoção podem colocar este álbum para tocar à meia luz, ou ao ar livre numa madrugada silenciosa. Garanto que será uma ótima experiência. Destaque para a influência brazuca em faixas como Summer Samba e A Man & a Woman. Em breve postaremos mais desta grande jazzista de nossa época. Divirtam-se!




Setlist:

1.Bye Bye Blackbird

2.Invitation

3.Yesterdays

4.Just for a Thrill

5.You Don´t Know Me

6.Alfie

7.Autumn Leaves

8.Summer Samba

9.All or Nothing at All

10.So in Love

11.A Man & A Woman

12.I Fall in Love Too Easily

.

Patricia Barber - vocais, piano

Michael Arnopol - baixo (5, 9, 10)

Adam Cruz - bateria (4, 5, 6, 8, 9, 11)

Charlie Hunter - guitarra de 8 cordas (4, 6, 11)

Marc Johnson - baixo (1, 2, 3, 7, 8)

Adam Nussbaum - bateria (1, 2, 3, 7, 8)

.

Produced By Patricia Barber

Executive Producer: Michael Friedman

www.patriciabarber.com



ERIC CLAPTON NA CAMPANHA PUBLICITÁRIA DO FENDER T-MOBILE MYTOUCH
Em parceria com Eric Clapton e a Fender, a T-Mobile em uma campanha publicitária, anunciou uma edição limitada do myTouch no dia 20 de janeiro (2010) para a promoção do seu novo slogan: “Não é um telefone. Mas um item de colecionador”.
DISTINTIVO BLUE E LÚ DO BLUES

Lú do Blues é um grande amigo e responsável pelo nome da banda. Também compõe blues e vivencia as virtudes de acordo com a lei. Da esquerda para a direita: Fernando Bernardino(guitarra), I. Malforea(voz), Lú do Blues, Dieguinho(baixo), Thomaz Oliveira(bateria) e Camilo Oliveira(guitarra).
Fernando Bernardino, I. Malforea, Dieguinho, Thomaz Oliveira e Camilo Oliveira
.
Até que enfim a DB estreou! Queremos agradecer a presença de todos ontem no Viela, as participações de Daíse Bernardino(voz), Pel Dias(baixo) e Diro Oliveira(gaita) e aos que nos acompanham. As fotos do show estão disponíveis NESTE LINK e quem tiver mais, por favor envie para http://www.blogger.com/.
Muita coisa pela frente a partir de agora: nesta semana começaremos a gravação do nosso primeiro single e 18 de fevereiro estaremos no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima. Continue conosco!
Salve! Finalmente está chegando a hora! Faltam algumas horas para a estréia da DISTINTIVO BLUE. Este é apenas o primeiro passo de uma longa jornada, cujo objetivo é representar bem o ritmo do Mississipi. Acabamos de sair do último ensaio antes da apresentação(postaremos algumas fotos ainda neste final de semana) e agora resta somente a expectativa. Aqui vai a formação desse show. Se você está lendo este post após a estréia tudo bem, apresento-lhe a DISTINTIVO BLUE:


I. MALFOREA(voz)


FERNANDO BERNARDINO(guitarra)


CAMILO OLIVEIRA(guitarra)


DIEGUINHO(baixo)














THOMAZ OLIVEIRA(bateria)


Visite também o PERFIL DA DISTINTIVO BLUE NO ORKUT.

Descrição original do arquivo:


Entenda as diferenças do blues para slow blues

Daniel Daibem apresenta "Please Send Sommeone to Love": primeiro na versão swingada do organista Richard Groove Holmes e depois na balada feita pelo trio do pianista Red Garland.

Créditos: TERRITÓRIO ELDORADO


BAIXAR


OBs.: Este blog não possui fins lucrativos e este post tem como único objetivo a informação. Os proprietários dos direitos do programa possuem o direito de pedir a exclusão do arquivo deste post.
BÊBADOS HABILIDOSOS - MS

Olá! Essa é a sessão BRAZUCA BLUES, e nela nós postaremos semanalmente algum artista do Blues Nacional. Acredito que seja uma regra geral aos apreciadores do blues, conhecê-lo através de músicas e artistas internacionais. O que muita gente não sabe é que o blues brasileiro está cada vez mais forte. De norte a sul do país existem bandas que representam muito bem o ritmo do Mississipi.

A partir dessa semana, esse será mais um espaço pra divulgar os Brazucas do Blues, interessados em divulgar seu trabalho aqui, entrem em contato conosco através de: distintivoblue@hotmail.com

Começaremos hoje, com os Bêbados. Calma! Não estou ofendendo ninguém, apesar de esse ser um adjetivo um tanto comum aos blueseiros, nesse caso se trata da banda sul mato-grossense “Bêbados Habilidosos”.

Conheci os Bêbados meio que por acidente, como o Orkut também é cultura, eu estava pesquisando bandas em comunidades, e me deparei com a maravilhosa versão blues de “A volta do Boêmio” que eles fizeram. Baixei o cd “Envelhecido 12 anos” inteiro, e descobri que eles faziam muito mais do que versões...

A banda, formada por Renato Fernandes, Marcelo Rezende, Rodrigo, Erik Tatton e Nelson Weiss, tem fortes influências do blues tradicional, rock, samba e da MPB brasileira, e produz uma mistura vigorosa do Blues com a poesia do samba de raiz. Uma das coisas que mais me chamou atenção no trabalho dos Bêbados, foram suas letras, sempre em português, são regadas de temas como: paixões mal resolvidas, botecos baratos, solidão e vida boêmia.

Ouvindo um pouquinho do som que eles fazem, e reparando na pegada que os caras têm, dá pra notar o tamanho da paixão pelo blues. Com 17 anos de estrada, os Bêbados já tocaram em praticamente todo estado do Mato Grosso do Sul, além de inúmeras apresentações em São Paulo e região.

Abaixo, os links pra conferir o som dos Bêbados mais Habilidosos que eu já ouvi...

http://bebadoshabilidosos.blogspot.com/

www.palcomp3.com.br/bebadoshabilidosos

http://www.myspace.com/bebadoshabilidosos

BUDDY GUY - A MAN AND THE BLUES(1968)

Olá, como vão? Nesta semana vamos falar de um dos maiores blueseiros da história, e o melhor: uma das maiores lendas VIVAS da história do blues: Mr. Buddy Guy, o cara da guitarra de bolinhas, que influenciou vários roqueiros famosos e continua influenciando. Sou muito suspeito pra falar do cara, porque ele está no meu Top 3 do Blues, mas vamos lá: atualmente o Buddy é mais conhecido por seu álbum Damn Right, I've Got the Blues(1991), que traz sucessos como a faixa-título e Mustang Sally. Vamos voltar um pouco no tempo, ao tempo em que os gigantes ainda andavam sobre a terra. Lançado pela Vanguard records, o disco conta com Otis Spann no piano, Wayne Bennet na guitarra-base, Jack Meyers no baixo, Donald Hankings, Aaron Corthen e Bobby Fields nos saxes, Lonny Tayler e Fred Bellow nas bateras e Samuel Charters na produção. É um ótimo álbum pra quem gostaria de ver a face menos agitada do mestre: um legítimo blues bar album. Destaque para a faixa-título, um ótimo exemplo para esse aspecto, Mary Had a Little Lamb, conhecida pelo público mais jovem na voz e guitarra do Steve Ray Vaughan e a última faixa, Jam on a Monday Morning, mas agitada. Aqui vai o setlist do disco:

1-A Man and the Blues - 6:17
2-I Can't Quit the Blues - 3:15
3-Money (That's What I Want) - 2:49
4-One Room Country Shack - 5:34
5-Mary Had a Little Lamb - 2:27
6-Just Playing My Axe - 2:50
7-Sweet Little Angel - 5:35
8-Worry, Worry - 6:14
9-Jam on a Monday Morning - 2:50


Sem mais delongas, você terá a chance de conhecer um dos melhores álbuns de blues da década de 60. Não esqueça da nossa proposta: deguste-o com calma e atenção. Se possível pesquise um pouco sobre ele, sobre seu contexto. Você verá o quão recompensadora será esta experiência. Até semana que vem!



JANIS JOPLIN - LITTLE GIRL BLUES
Apresentação da cantora no programa "This is Tom Jones", em 04/12/1969.

JOHN LEE HOOKER
nas gravações do videoclipe "One Bourbon, One Scoth, One Beer"

Todo ano durante o carnaval, o brasileiro se dirige a algum centro de folia. Acredito que faz parte da genética dos trópicos essa inclinação pra festa que nós temos. Mas quem não curte os ritmos próprios do carnaval brasileiro muitas vezes fica sem diversão durante o feriado mais animado do país.

No Ceará, na pequena cidade de Guaramiranga o carnaval é diferente. Durante os dias de folia nacional, a cidade promove o Festival Blues & Jazz.

Guaramiranga fica na região serrana do estado, a 100km da capital, Fortaleza, oferece a beleza da mata atlântica e cachoeiras, combinada ao clima ameno dos seus 865m de altitude.

Em 2010 o Festival chega à sua 11ª edição, acontecerá durante os dias 13 e 16 de fevereiro em Guaramiranga, e depois, entre os dias 18 e 20, seguirá para Fortaleza. A programação vai de 10h da manhã até as 3h da madrugada, em espaços abertos e fechados com atrações pagas e gratuitas durante todos os dias.

Este ano o Festival lança mais dois projetos imperdíveis: o Café Tom, realizado no teatro Rachel de Queiroz, no qual acontecerá durante todos os dias a exposição sobre uma década de carnaval jazzístico, e contará coma presença de jornalistas e músicos. E o genial projeto “residências artísticas”que visa colaborar com a formação musical de uma nova geração artística, profissional ou não. Os alunos assistirão aulas teóricas e práticas de música, ministradas por importantes instrumentistas locais e nacionais. Todas essas aulas serão gratuitas e parte dos alunos terá todas as despesas custeadas pelo projeto.

Durante 10 anos, o público do Festival Jazz & Blues já apreciou artistas como Dominguinhos, Toots Thielemans, César Camargo Mariano, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Jean Jacques Milteau, Ivan Lins, Scott Henderson, Stanley Jordan, Pedro Aznar, Paulo e Daniel Jobim, Nuno Mindelis, Leny Andrade, Gilson Peranzzetta, e mais uma infinidade de estrelas do blues, jazz e da música brasileira.

Este ano o Festival Jazz & Blues apresenta atrações de prestigio nacional e internacional. Grandes parcerias estarão nos palcos, como a do pianista cearense Antônio José com o baterista e do percussionista carioca Robertinho Silva, que comemora 50 anos de carreira. Outra dupla, formada pelo pianista mineiro Túlio Mourão e o violonista cearense Nonato Luiz trazem o repertório do CD Mangabeira, além de momentos solos de cada um dos artistas.

Também se apresentaram o pianista, tecladista, compositor, arranjador, maestro e diretor musical, Wagner Tiso junto a Victor Biglione um dos maiores guitarristas e violonistas da atualidade. De São Paulo virá o Trio Corrente, recebendo o saxofonista cubano Paquito D’Rivera, um dos maiores nomes internacionais da música instrumental. O Trio Corrente acompanhará o também paulista Chico Pinheiro, reconhecido internacionalmente como extraordinário guitarrista e compositor.

Rildo Hora se apresenta ao lado de Misael da Hora, juntos, pai e filho mostram na gaita e no piano um repertório variado, que viaja do erudito ao jazz brasileiro. Do Rio de Janeiro, o Festival recebe Carlos Malta, conhecido como Escultor do Vento, é multiinstrumentista, compositor, orquestrador, educador e produtor cultural.

Minas Gerais presenteia as terras cearenses com os grupos: Ramo, que apresenta uma música instrumental viva e criativa, e a sonoridade mágica do grupo UAKTI, que utiliza instrumentos feitos com materiais como tubos de PVC, vidros, metais, pedras, borracha, cabaças e até água.

Representando o nordeste o grupo baiano Viola de Arame, do nosso já conhecido Júlio Caldas e seu parceiro Cássio Nobre, abusa da sonoridade inconfundível das violas. Já o Caninga Trio, do Rio Grande no Norte desenvolve um repertório instrumental voltado para uma formação pouco comum, onde saxofone, guitarra e baixo de seis cordas executam temas autorais e arranjos próprios da música popular e instrumental. A cearense Marimbanda festeja dez anos de sua fundação com um passeio pelo Brasil musical, tocando baião, frevo, choro, samba, além de um jazz autoral brasileiríssimo e de novas releituras.

Completando o time, o flautista carioca Márcio Resende e a cantora parisiense Paula Tesser, ambos residentes no Ceará homenageiam importantes nomes do jazz mundial.

Representando o Blues, três gaitistas de países diferentes que já percorreram boa parte da América Latina, EUA e Europa, em turnê com suas respectivas bandas, estão juntos no Harmônica Mercosul, formado por Jefferson Gonçalves (Brasil), Nicolas Smoljan (Argentina) e Gonzalo Araya (Chile). Os três já dividiram o palco diversas vezes, em jam sessions mundo afora e, agora juntos, mostram ao público todas as facetas sonoras que a gaita é capaz de produzir, mostrando três estilos diferentes de tocar o mesmo instrumento.

Encerrando a programação, o guitarrista Artur Menezes comandará as Jam Sessions, agitando as madrugadas do Festival Jazz & Blues.

Porém, o melhor ainda está por vir... O gigante gênio do Blues, Magic Slim, do alto dos seus 70 anos, é um ícone do Chicago Blues. O guitarrista tem 28 discos oficiais gravados. Seu mais recente trabalho é Midnight Blues, lançado em 2008. Os shows de Magic Slim não têm ensaio ou setlist programados, o repertório é direcionado na hora, de acordo com a reação do público. Portanto, quem tiver oportunidade de ver o mestre no palco presenciará um show único.

Fica aí, nossa dica de folia no carnaval para os apreciadores da boa música.